quarta-feira, 8 de junho de 2011

Paralisia do sono: curtindo uma noite de terror

O Pesadelo, obra do pintor alemão Henry Fuseli (1741-1825)
 retrata a Paralisia do Sono como uma visita demoníaca. 
Será que estou sonhando? Vejo e sinto meu corpo paralisado. Tento mover a cabeça em vão. Acelero a respiração para ver se consigo sair deste estado entre sonho e realidade, mas não adianta. Até a respiração fica difícil. Pela porta entreaberta uma sombra se aproxima. É algo grande, escuro..., um urso...? O medo aumenta... Tenho que acordar rápido... Se eu pudesse pelo menos mexer a cabeça, as mãos... A sombra está agora sobre mim, sinto seu peso sufocante sobre meu peito. Encaro aterrorizado seus olhos e apenas vejo uma massa gelatinosa e disforme. Meu braços começam a formigar. Finalmente mexo a cabeça e começo a tomar consciência do meu corpo. Tento empurrar o urso mas ele já desapareceu. Agora percebo através da porta entreaberta não uma sombra, e sim minha malha de moletom jogada no chão.

O relato acima é real, e relatos semelhantes, embora possam parecer bizarros, são bem mais comuns do que a gente pensa. Aproximadamente 40% da população já passou por uma experiência “fora do normal” durante seus sonhos, e 5% tiveram experiências semelhantes à descrita acima, incluindo a forte sensação de presença de alguma figura sobrenatural, dificuldade de respirar devido a uma pressão sobre o peito, medo intenso e alucinações.

A ciência tem estudado esses estados associados com os sonhos desde a década de 1950, a partir dos estudos pioneiros de William Dement e Nathaniel Kleitman. Hoje temos uma teoria testável cientificamente para explicar estes e outros fenômenos como o sonambulismo, os “sonhos lúcidos”, e outras curiosidades.

Durante o sono normal, nosso cérebro e nosso corpo passam por cinco fases. Podemos medir a atividade elétrica de cada fase usando equipamentos especiais. A fase inicial, de sonolência, se caracteriza pela existência de ondas alfa. Depois, já dormindo, atravessamos três fases onde as ondas cerebrais ficam cada vez mais lentas e longas. Nestas fases, é possível experimentar alguns sonhos, mas não são muito complexos. Finalmente, chegamos à fase do sono mais profundo denominado sono REM (de rapid eye movement ou movimentos oculares rápidos) onde acontecem os sonhos mais “cinematográficos”. Curiosamente, nesta fase as ondas cerebrais voltam a se assemelhar às que temos quando estamos acordados, motivo pelo qual também foi denominado sono paradoxal. Como o nome indica, nesta fase nossos olhos mexem rapidamente, já o resto de nossos músculos fica paralisado (exceto o diafragma que mantêm a respiração).

O ciclo completo dura uns 90 a 100 minutos e vai se repetindo durante a noite, com uma diminuição dos ciclos de sono de ondas lentas e um aumento das fases de sono REM.

Entretanto, nem sempre as coisas funcionam bem. Por vezes, os sistemas cerebrais que desconectam os músculos de nosso corpo durante o sono REM falham. Quando isso acontece, fazemos os movimentos relacionados com os sonhos que estamos tendo. Em casos extremos, vivenciamos a tal ponto nossos sonhos que levantamos e passamos a agir de acordo com eles. Provavelmente é o que acontece durante o sonambulismo, onde por precaução é necessário às vezes amarrar o paciente à cama para evitar acidentes.

Durante a paralisia do sono acontece o contrário. Quem falha são os sistemas cerebrais que desconectam o estado de vigília e nos levam à inconsciência característica do sono. Isto pode ocorrer em dois momentos, quando começamos a dormir e a atonia muscular acontece antes de “cair no sono” (alucinação hipnogógica), ou quando estamos acordando e a consciência volta quando nosso corpo ainda está em atonia REM (alucinação hipnopômpica).

 Ficamos assim num estado de semi-inconsciência. Nossos olhos entreabertos capturam imagens que, quando chegam ao cérebro, se confundem com imagens que o cérebro inventa (a malha de moletom que se transforma no urso no relato acima). Ficamos conscientes da nossa total paralisia muscular o que causa medo e ansiedade. Dos vários músculos que participam da respiração quando estamos acordados, só o diafragma está funcionando 100%, com o que sentimos dificuldade respiratória. Durante esses episódios, uma parte do cérebro denominada corpo amigdaloide, responsável pela sensação de medo, é mais ativada o que aumenta a sensação de terror.

Claro que uma situação tão bizarra como esta paralisia do sono tem ao longo do tempo originado várias explicações místicas e paranormais. Algumas religiões associam esses eventos à “separação” do espírito do corpo. De fato, resulta fascinante estudar como a paralisia do sono foi compreendida pelas diversas culturas ao longo da nossa história. Durante a Idade Média na Europa, acreditava-se na visita de bruxas e demônios eróticos. Mesmo hoje, algumas sociedades interpretam estas experiências em termos sobrenaturais, adaptando-as ao seu próprio folclore. Os nativos da ilha canadense Newfoundland acreditam no “Old Hag” (literalmente, velha bruxa), que durante o sono senta em nosso peito (daí a dificuldade em respirar) e envia pesadelos. Os japoneses citam o kanashibari, onde uma entidade espiritual nos amarra com arames. Em Islândia, a paralisia do sono é denominada “Mara”, uma espécie de demônio que ao igual que a Old Hag senta no peito e tenta sufocar a vítima. Em tempos mais recentes, a paralisia do sono foi também associada a abduções por seres extraterrestres. 

Alguns fatores parecem nos predispor a ter esse tipo de distúrbio do sono, como dormir em posição supina (de barriga para cima), estresse, álcool, alterações bruscas em nosso ritmo de vida... Felizmente esses episódios, algo mais comuns na juventude, costumam diminuir de intensidade com o tempo, mas em uma pequena parcela da população sua incidência continua alta e a paralisia do sono se transforma em doença com um intenso sofrimento para quem a padece, casos em que o tratamento por uma equipe de especialistas se faz necessário.



Onde ler mais
 Cheyne, J. A. Sleep paralysis and the structure of waking-nightmare hallucinations. Dreaming, 2003, 13: 163–179.
Terror in the night, Julia Santomauro and Christopher C. French, The Psychologist, 22:672-675, 2009 (link para o artigo aqui: http://www.thepsychologist.org.uk/archive/archive_home.cfm?volumeID=22&editionID=178&ArticleID=1545)

16 comentários:

  1. E costumava ter direto, mas do nada os episódios pararam, ainda bem..é a pior experiência que se pode ter...

    ResponderExcluir
  2. Conheço quem tem. É manifesto fisicamente e precisamos tocar de leve a pessoa para que ela volte a se conectar com a realidade e sair do "pesadelo" e "volte a conseguir mover-se". Pra quem não tem é aflitivo de ver, imagino quem tenha! Abraço de obrigada pelo esclarecimento.

    ResponderExcluir
  3. Eu tive episódios entre a adolecenscia e a fase de "adulto jovem". É realmente ruim, dá muito medo pois parece que algo está acontecendo e você não pode reagir nem fugir. O estranho é que eu comentava com as pessoas e ninguém entendia, agora vejo que é normal... Adorei sua entrevista no Questão de Opinião, confesso que não te conhecia, mas virei fã da sua inteligencia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Andréa. Tivemos os mesmos sonhos então. Na realidade, a descrição no início da postagem é autobiográfica. Acontecia muito comigo também.

      Excluir
    2. Eu tô tendo paralisia do sono com frequência,e estou com medo,confesso,é uma das piores sensações...:(

      Excluir
  4. Tenho 16 anos e isso aconteceu comigo.
    Desculpe o palavreado mas, 'puta que o pariu', é horrível!

    ResponderExcluir
  5. Tive paralisia do sono muitos anos e quase toda noite.
    Ainda não há uma explicação definitiva para esse fenômeno, quando vejo blogs com pessoas ensinando como ter paralisia do sono penso que só pode ser alguma pessoa que nunca passou por isso.
    É apavorante, eu tinha falta de ar , mudei minha maneira de dormir de medo de morrer asfixiada. Tive algumas alucionações mas ainda bem, não foram apavorantes, perto do que eu já li, as minhas eram tranquilas. Mas o medo a sensação de perigo, a falta de ar, a imobilidade, o zumbido no ouvido. Não desejo isso para o meu pior inimigo.
    Já li que se piscar muitas vezes e rápidamente consegue sair disso, não experimentei porque quando descobri isso já não tinha mais.Estou dando a dica para quem ainda tem, aconselho calma, nada está acontecendo de verdade pois os cientistas dizem que é um problema do sono, com certeza vai passar, é difícil, mas a calma ajuda muito.
    A minha do jeito que começou, acabou, não sei porque mas agradeço.
    Espero ter ajudado.

    ResponderExcluir
  6. PS
    Essa da malha de moleton, não é bem assim. Já tive alucinações em que vi pessoas e não tinha nada para justificar. Sei que estava sonhando mas nessa paralisia não há lógica.
    E mais, consegui manter a calma e em seguida acordei e vi que não havia nada.
    O medo é o maior inimigo da paralisia do sono, mas as imagens são aleatórias não tem lógica possível.

    ResponderExcluir
  7. habitualmente tenho. Pensava que era vidente ou medium, pois muitas vezes tive alucinações, pensando que estas eram espíritos. Ouvia crianças brincando ao meu lado, outras vezes passos vindo em minha direção e até velhas me cochichando nos ouvidos. A|lgumas vezes tinha a sensação de levitação. Hoje, mesmo sabendo que a paralizia do sono é comprovada cientificamente, ainda tenho medo quando passo por ela.

    ResponderExcluir
  8. Adorei este blog e, principalmente este post. Sempre busquei informações sobre paralisia do sono e a maioria das pessoas dão respostas sobrenaturais sobre o assunto e até então, pouco tinha achado sobre relatos científicos recentes. É muito bom começar a entender o que acontece comigo. Também comecei a tê-los na adolescência e hoje, com pouco mais de 30 anos, tenho algumas vezes. Na adolescência era uma experiência aterrorizante, eu tinha medo de tentar voltar a dormir depois que conseguia acordar de uma paralisia. Como já falaram acima, o medo é a pior parte, você sente medo de algo que muitas vezes não vê direito o que é, sons como zumbidos e está ali, sem conseguir se mexer, acordar... é horrível. Hoje consigo manter a calma, por acreditar ser algo comprovadamente científico e entender que não sou a única pessoa a passar por isso, mas como disse o anônimo acima, também ainda tenho medo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tenho 19 anos desde sempre tenho esse tipo de paralisia mais sempre achei que fosse só um pesadelo hj decidi pesquisar sobre o assunto porque ontem tive mais um episodio de paralisia, mais os meus são um pouco diferente do que a maioria relata, eu sempre vejo claramente tudo ao meu redor como se estivesse acordada escuto tudo e sempre vejo alguém sugando a minha energia pela minha cabeça e eu vou ficando muito fraca e não consigo me mexer só tenho domínio sobre meus pensamentos todas as vezes eu sempre ficava apavorada e sentia que aquele ser era mal e sempre recorria a jesus , mais ontem tive o mesmo sonho mais desta vez não fiquei com medo mais da mesma forma orei para que aquela situação acabasse e foi como todas as vezes logo que comecei a orar esse ser foi embora. Não sei o que possa ser isso gostaria de saber o que isso significa eu quero que pare eu não gosto de ter esse tipo de sonho se alguém puder me ajudar eu agradeceria muito.

      Excluir
  9. Ja tive paralisia do sono inumeras vezes...
    Nas primeiras vezes,fiquei com muito medo durante e apos o ocorrido.
    Lembro uma vez em especial,de um zumbido extremamente alto em minha cabeça..
    Teve uma vez,que quando me deparei ,estava nakele estado de paralisia,e lembo de ter pensado:
    "Nao vou ficar parado enquanto isso acontece".Sentia medo e raiva nakela momento por querer mecher e nao conseguia.
    Com toda força do mundo tentava me mecher,e milagrosamente comecei a mover lentamente,fazendo muita força ,como se alguma força estivesse me puxando.
    Diante disso cai no chao(ainda em estado de paralisia)e tentei me arrastando diante dakela força que me prendia sair do meu quarto e correr até o quarto de minha mae.
    Quando estava proximo da porta,ela se fechou bem forte e dai ,n lembro mais o que aconteceu,quando me dei conta estava acordado.
    Eu n sou religioso,ja fui espirita,mais por motivos pessoais desacredito tbm.
    Sou fumante de cannbis,e n sou religioso(ex espirita),N acredito ein nenhuma religiao,tenho minha propria opiniao sobre minha existencia,mas estranhamente lembro,que quando parei de fumar e me dediquei ao espiritismo esses acontecimento (Paralisia do Sono)se tornavam mais frequentes...
    Acredito que isso se deve ao estado mental em que alcanso quando me dedico a uma coisa boa.Quando estou fumando muito Nunca tenho tais esperiencias,até os sonhos sao dificeis de ser lembrados...Quando estou sao e de bem com a vida,os sonhos passam a ser quase real e posso me lembrar bem mais facil de tudo ..
    Os resultado custumam aparecer 1 ou duas semanas sem cannabis.N sou religioso ,n curto religiao,apenas tento entender o que realmente se passa nessas horas pois o importante é ser racional acima de tudo e nunca considerar o que dizem os fanaticos religiosos.

    ResponderExcluir
  10. Eu nunca tive alucinaçao mais eu fico presa dentro do meu sonho como aqueles filmes de terror que a pessoa n consegue sair da casa, eu sei ki estou durmindo eu mi vejo no sonho eu vejo meu quarto eu , minha familias todos da caza, nao ha mudanssa de respirassao eu so n consigo mi mover, eu tento abri os olhos i n consigo ,no sonho toda vez que vou acender a luz eu sinto que estou relando nela, mais eh tudo um sonho, sem alucinassao, sem barulho, eh como c eu tivec preza nu meu sonho, eh difícil de explica , mais da muito medo :v

    ResponderExcluir
  11. A paralisia a respiracao e movimentos do corpo trata-se de uma doenca respiratoria. Existe cura e procurando um medico podera diagnosticar este problema. Esta enfermidade trata-se de um grande perigo, pois pode ocorrer durante a direcao de carros, salas de aula ou audiencias, por exemplo.
    Apneia do sono, apneia noturna (FO 1943: apnéia) ou Síndrome de Apneia-Hipopneia Obstrutiva do Sono (SAHOS) é uma desordem do sono caracterizada pela obstrução das vias respiratórias durante o sono, que inibe a passagem de ar por pelo menos 10 segundos mais de 5 vezes durante o período de sono.

    ResponderExcluir
  12. - Louko ' Acabei de Ter Um ' por Voltas das 10:24 AM. 21/01 , Boom muitos falam pra não entrar em pânico ' mais como? Eu sinto uma precensa ' minha raiva aumenta ' a sombra está se aproximando '
    Eu digo: tenho que acordar ' tenho que acordar mentalmente e Nada '

    Estou paralisado consigo enxergar vultos e sombras ' ainda consigo pensar ' e fico com uma raiva extrema ' e digo pra mim mesmo, que seja só um pesadelo' pq se for real eu te mato agora ' meus braços formigando ' respiração ofegante '
    Finalmente mexo minha mão ' mas.. não consigo levantar ainda '
    Penso: fudeu, vou matar esse demoin '!
    E acordo ' e fico rodando a casa procurando o Bixo (sombra) ' e não acho ' e digo:
    Que Não volte mais ' e o desgraçado volta '

    Sinto uma sombra ' do um sorriso meio de lado '
    Sinto a presença sobre mim ' com um aperto no peito' começo a rir e digo ' Oq vcx quer ' ? Fazer um jogo ' pra Mim entrar em pânico e minha mente me torturar ' ? Não HOJE nao!
    É melhor você ir embora ' porquê eu quero dormir '

    Mesmo paralisado '
    Você é mais forte '
    Leve na irônia '
    Leve na brincadeira '
    E sorria ' a presença ' Vai perceber que você não é Um brinquedo mais '

    ResponderExcluir
  13. Tenho episódios recorrentes de alucinação noturna. Durante a noite, As vezes vejo objetos tomarem formas humanas ou vejo algo onde não existe. Eu não fico paralisado. Consigo me levantar e me mover e por alguns segundos ainda consigo ver aquela alucinação até que minha consciência volte por completo e aquele se dissipe. Já cheguei a pegar faca para este tipo de coisa que tb acontece ao pegar no sono. Ocorre com mais frequência quando estou estressado ou ansioso

    ResponderExcluir

Ocorreu um erro neste gadget